sexta-feira, 28 de junho de 2013

ENEM 2013: VIDEOAULA PARA ESPANTAR O MEDO DE MATEMÁTICA



Estudando geometria espacial

Vale a pena assistir a esta aula de geometria espacial. Basta um click neste link:


PARCERIA: CDH – OAB MOSSORÓ e CEJA

Na última terça-feira (25/06), cumprindo o cronograma de palestras programadas para o CEJA Professor Alfredo Simonetti – como uma das ações/atividades do Projeto "Direitos Humanos nas escolas: construindo a cidadania" –, a Comissão de Direitos Humanos – OAB Mossoró (representada pelas advogadas Catarina Vitorino, Amanda Cristina e Alda Morais) realizou a primeira palestra cujo título foi “Mercado de Trabalho”. 
Gestor Nerenilson Nunes e representantes da CDH - OAB Mossoró
Na abertura, após as falas do gestor Nerenilson Nunes e da advogada Catarina Vitorino, foi exibido o vídeo motivacional de Nick Vujicic (http://www.youtube.com/watch?v=jlH32LUZ8js) – a incrível história deste homem que nasceu sem os membros superiores e inferiores e é um exemplo de superação, força e esperança. 
Advogada Amanda Cristina
Momento de descontração durante a palestra
A seguir, a advogada Amanda Cristina deu início à palestra da qual destacamos os seguintes pontos: • “Vocês já podem se considerar inseridos no mercado de trabalho porque estão tendo a oportunidade de estudar”. • A inserção no mercado de trabalho começa com este primeiro passo: estudar. Também saber valorizar o professor e o que ele tem a lhe oferecer, no sentido de contribuir para seu crescimento profissional. • Quando você se dedica ao estudo, está investindo em você mesmo. • Todos querem ter sucesso. Para isso, precisam se esforçar, dedicar-se, ter um objetivo definido, aprender a dar honra a quem tem honra, trilhar o caminho sem pegar atalhos. 
A advogada e professora Alda Morais (ex-aluna do CEJA) -
um exemplo do poder da educação na vida de um cidadão
Logo após, foi a vez da professora e advogada Alda Morais, que é um exemplo de determinação, encantar a todos com sua história de luta, superação e sucesso. Segundo ela, todos nós devemos: • Correr atrás para realizar nossos sonhos. • Se não tivermos um objetivo, precisamos criá-lo. É imprescindível sentirmos necessidade de algo para podermos buscar. • Também é importante que nos disciplinemos. • Por fim, precisamos lutar e acreditar que iremos alcançar os nossos objetivos. 
A vice-presidente da CDH - OAB Mossoró, Drª Catarina Vitorino

Fechando a palestra, tivemos novamente o prazer de ouvir a Drª Catarina Vitorino, que enfatizou a importância da motivação, da disciplina e do foco para conseguirmos o que almejamos. Ela orientou:
• Mire no que você quer.
• Sonhe alto. Sua realização terá o mesmo tamanho do seu sonho.
• Também sugeriu a leitura do livro “O Segredo” do escritor, conferencista internacional e mensageiro espiritual Neale Donald Walsch – segundo este autor, “Sua missão é a que você se atribui”.

Confira o filme e o livro em PDF aqui: http://www.youtube.com/watch?v=wNMmh_wIpd0.

• Indicou ainda que assistamos ao filme “Desafiando Gigantes”, no qual podemos comprovar que “o poder da crença proporciona a habilidade de vencer”.


Sem dúvida, foi uma tarde bastante proveitosa que certamente trará resultados positivos a curto e longo prazo. Nosso Centro está muito satisfeito com esta parceria. Aguardemos e aproveitemos, pois, as próximas palestras: “Sexualidade”, “Ética e Cidadania”, “Violência” e Drogas” (temas sugeridos pelos jovens e adultos, através de uma enquete realizada pelos professores deste Centro), que acontecerão na próxima semana.

NOTA DO BLOG DO CEJA

Registros (fotos e texto) postados pela profª Josselene Marques, atual administradora deste blog.

terça-feira, 18 de junho de 2013

JÚRI SIMULADO NO CEJA




A juíza Josselene Marques fazendo a formulação dos quesitos


Na tarde de hoje (18/06/2013), sob a coordenação da professora Josselene Marques, realizamos a primeira audiência de julgamento do Tribunal do Júri Simulado do CEJA Professor Alfredo Simonetti, neste primeiro semestre do ano de 2013. Além de discutirmos um tema atual, também objetivamos desenvolver e avaliar três das cinco competências exigidas na argumentação: dominar a norma padrão da língua portuguesa; relacionar informações, representadas em diferentes formas, e conhecimentos disponíveis em situações concretas, para construir argumentação consistente e recorrer aos conhecimentos desenvolvidos na escola para elaboração de propostas de intervenção solidária na realidade, respeitando os valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 


A promotora Ana Maria Lima mostrando "as falhas" no texto do Estatuto do Nascituro



Em plenário, julgamos o Estatuto do Nascituro (nascituro é o ser humano concebido, mas ainda não nascido). O referido estatuto prevê uma importante mudança constitucional, defendida por uns e rejeitada por outros. De acordo com notícias recentes, publicadas nos mais conceituados meios de comunicação, para uma boa parte da população brasileira, a aprovação desse estatuto será um retrocesso enorme na legislação do país, já que o direito ao aborto, em caso de estupro, é previsto em lei desde 1940. Entendemos que a decisão de levar adiante uma gravidez, consequente desse crime hediondo contra a dignidade sexual da mulher, requer um esforço fenomenal para conseguir dissociar a criança do agressor. Por este motivo, após a agressão, a mulher precisa contar com sistemas de apoio, que a amparem de forma integral, pois os mesmos influenciarão na redução da intensidade dos danos causados a essas vítimas. Por outro lado, concordamos que o nascituro – fruto dessa agressão – não deveria ser penalizado, já que não tem culpa.



A advogada de defesa Kênia Pereira em ação

Sem dúvida, é um tema por demais polêmico porque envolve a vida, a liberdade e os direitos dos seres humanos nascidos e nascituros. As alunas do Bloco A1, do Ensino Médio, seguindo os princípios norteadores do Tribunal do Júri (em nosso júri simulado), após um caloroso debate entre acusação e defesa, por maioria de votos, decidiu rejeitar o Estatuto do Nascituro em alguns de seus pontos: em especial, no que se refere ao tratamento a ser dado à mulher vítima de estupro. Nosso Conselho de Sentença sugeriu que o Estatuto do Nascituro seja revisto ou até mesmo substituído por outro em que vítima e nascituro sejam igualmente valorizados, considerados e respeitados – há de se chegar a um consenso! 


Parabenizamos e agradecemos a todos que colaboraram no rito ou fazendo parte da plateia educada e atenta.

A plateia educada e atenta colaborou mantendo a ordem, principalmente, durante
o inflamado debate entre acusação e defesa.

quarta-feira, 5 de junho de 2013

CENTENÁRIO DE VINÍCIUS DE MORAES

 
Prof ª Vera Freitas -  a idealizadora e coordenadora deste projeto
Nesta quarta-feira (05/06/2013), o CEJA Professor Alfredo Simonetti foi palco para a culminância do projeto “Contando, cantando e encantando com Vinícius” em tributo ao poeta, compositor, jornalista e diplomata Vinícius de Moraes, pela passagem do centenário de seu nascimento (19/10/1913 – 19/10/2013). Idealizado e coordenado pela professora Vera Freitas, contou com a participação maciça tanto dos nossos alunos jovens e adultos quanto de seus colegas professores, além do indispensável apoio da equipe gestora. 

Projeto idealizado pela professora Vera Freitas
Gestor Nerenilson Nunes ao lado dos alunos apresentadores do evento
Jovens e adultos dos esinos médio e fundamental prestigiando o evento

Tivemos um dia inteiro de apresentações. O Grupo ECOARTE fez a abertura com o seu instrumental. Em seguida, dramatizações, corais cantando versões de sucessos musicais de Vinícius em inglês e espanhol, danças e recitações de poemas – algumas belas vozes e performances, entre os alunos, durante as interpretações das canções do “poetinha” (forma carinhosa de chamar Vinícius de Moraes e apelido atribuído por Tom Jobim), surpreenderam e encantaram os presentes. A história de Vinícius de Moraes foi originalmente contada e intercalada pelas apresentações – uma forma por demais agradável de ensinar e aprender. Abaixo, uma amostra do conteúdo ministrado através da leitura bem-humorada dos apresentadores: “Vinícius de Moraes foi muitos. Tivesse sido um só, seria apenas Vinícius de Moral. Foi poeta, diplomata, letrista e pedra filosofal da Bossa Nova, crítico de cinema, cidadão do mundo. E trágico, transcendental, cínico, divertidíssimo, boêmio e apaixonado por multidões de mulheres, inclusive as feinhas, para quem pedia afeto e piedade. [...]” 

Criatividade na dramatização dos alunos concluintes
Fábio e Jhennify revelando suas habilidades artísticas
Momento de oração e solidariedade (todos rezando pela  recuperação
de Lucas Emmanuel - sobrinho da prof ª Josselene Marques).

Homenagem à prof ª Lúcia Câmara
Professores encerrando o evento
Vinicius chegou ao mundo em 19 de outubro de 1913, no Rio de Janeiro, onde passou maior parte de sua vida. Morreu em 1980, aos 66 anos, não como o maior poeta brasileiro – que não foi – mas como o mais amado. Ah, Vinícius... amou e foi muito amado – casou nove vezes! Ele viveu de paixões. Quando uma paixão tomava de conta dele, ele era inigualável. Vivia intensamente suas paixões. [...] Em 1979, voltando de uma viagem à Europa, sofre um derrame cerebral no avião. Em 17 de abril de 1980, é operado para instalação de um dreno cerebral. Morreu na manhã de 9 de julho de 1980 de edema pulmonar, na sua casa, na Gávea, em companhia de Toquinho e de sua última mulher.

[...] Mas... onde estaria Vinicius hoje? Hoje não há lugar para a sua generosidade, para a sua ingenuidade, para a sua extravagância, para a sua liberdade de agir de acordo com suas vontades, para o seu comportamento informal. Talvez ele não pudesse realmente estar vivo hoje, ser hoje o Vinicius que ele foi. Onde ele estaria nesse país e nesse mundo que a gente vive? Vinicius ajudou (e ajuda!) as pessoas a viverem. Com uísque (que ele adorava!) chope, caipirinha, refrigerante ou água, 23 anos depois de sua morte, ele ainda entoa paixões.

Para saber mais, por gentileza acesse: http://www.viniciusdemoraes.com.br/site/rubrique.php3?id_rubrique=9.

Parabéns para todos nós que fazemos o CEJA!